SINCLAPOL

Sindicato das Classes Policiais Civis do Estado do Paraná


Facebook SINCLAPOL Twitter SINCLAPOL Filiar-me ao SINCLAPOL
Policial Civil

Trabalhando “na contra mão” da segurança pública

Após ser preso pelo COPE na sexta-feira (7/4), o principal receptador dos celulares roubados nos Shoppings de Curitiba, Leovaldo Trancoso Koglin Júnior, foi solto hoje (8/7) após a Audiência de Custódia, porque foi concedida a “Liberdade Provisória Com Fiança”, pelo MM Juiz de Direito Rubens dos Santos Júnior.

O MM Juiz concedeu a “Liberdade Provisória Com Fiança”, nos seguintes termos:

  1. Comparecimento mensal em juízo para informar e justificar atividades, durante o curso do inquérito e de eventual processo (art. 319, I, CPP);
  2. Proibição de se ausentar da Comarca por prazo superior a oito dias, sem prévia autorização judicial (art. 319, IV, CPP); e
  3. Recolhimento de fiança no valor de R$ 2.000,00 (art. 319, VIII, CPP).

“Apesar de toda a repercussão dos casos de roubo, furto em shopping, em lojas de shopping e lojas de eletrônicos, o principal receptador de todo esse material, que foi preso ontem pelo COPE, após uma mobilização e trabalho de excelência hoje foi solto pela justiça, com o pagamento de uma fiança de dois mil reais, o que em muitas vezes não chega a ser o valor de um celular. É um absurdo o que vem ocorrendo, essa Audiência de Custódia simplesmente joga no lixo o serviço que a Polícia Judiciária vem fazendo, e em detrimento lógico da população, que vai ter o receptador que incentiva o ladrão a roubar da sociedade e como fonte de renda para eles, já que ele imediatamente compra todos esses aparelhos. Isso é um absurdo e tem que ser revisto. Foi preso tem que ficar preso. É essa a maneira que a Polícia Judiciária ajuda na prevenção, retirando esse tipo de pessoa da sociedade, mas a Justiça coloca ela de novo ali para continuar a cometer os seus crimes”, declarou André Luiz Gutierrez, presidente do Sinclapol.